Teses, Dissertações e Monografias

Acesse a listagem abaixo para conhecer algumas das teses, dissertações e monografias desenvolvidas pelos alunos de pós-graduação do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica.

A consulta também pode ser feita na biblioteca de Engenharia Civil pelos telefones (11) 3091-5204 e 3091-9023, fax (11) 3091-5125 ou pelo e-mail biblioteca.civil@poli.usp.br.

Para saber o horário e o local das próximas qualificações e defesas, acesse o site Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil – PPGEC. e do ConstruINOVA - Mestrado Profissional em Inovação na Construção Civil.

Para conhecer as diretrizes de elaboração de teses e dissertações clique no link ou acesse o site da Biblioteca Digital.

Importante: a consulta aos arquivos das teses e dissertações fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:

Este trabalho é para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar o nome da pessoa autora do trabalho.

Buscar teses, dissertações e monografias
  • Financiamento para habitações populares no Brasil e no México PDF
    • Aluno: Luciane Mota Virgilio
    • Orientador: Eliane Monetti
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2010

    O déficit habitacional e a falta de acesso ao crédito habitacional, notadamente para a população de baixa renda, são problemas marcantes nos países emergentes, em especial no Brasil. A dificuldade em aliar as condições de pagamento das famílias e o preço da habitação demanda a necessidade de intervenção do Estado por meio de políticas de subsídios. Experiências em outras nações emergentes, que poderiam ser adaptadas à realidade brasileira, indicam que muitos avanços podem ser alcançados nessa área. Diante desse panorama, o presente trabalho tem por objetivo analisar a evolução do sistema de financiamento habitacional brasileiro, com foco nas políticas públicas implantadas a partir da década de 1990, além de efetuar uma comparação com as soluções encontradas pelo México a partir da década de 2000. A conclusão do trabalho indica que, para a faixa de renda analisada, de até cinco salários mínimos, o crescimento do crédito habitacional, a recente estabilidade macroeconômica e alterações no quadro institucional brasileiro não foram suficientes para solucionar o acesso da população à moradia. Propõe-se, portanto, destacar quais os principais aspectos que dificultam este acesso e como seria possível alcançar um resultado positivo nesse âmbito.

  • Subsídios para a melhoria da gestão de reformas de edificações unifamiliares no mercado de autogestão PDF
    • Aluno: Cynthia Barbieri Diezel Munhoz
    • Orientador: Ubiraci Espinelli Lemes de Souza
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2010

    A importância deste tema pode ser ilustrada no fato de que a autogestão é a principal forma de gestão da construção residencial, pois representa aproximadamente 70% das novas habitações e 87% das obras de reforma e expansão no país. Apesar da importância deste tema há pouca bibliografia na literatura especializada nacional, indicando a necessidade da realização de pesquisa nesta área. Neste sentido esta pesquisa objetivou investigar o atual modelo vigente de gestão, a autogestão, nas obras de reforma em edificações unifamiliares, levantando indicadores de produtividade para se obter um diagnóstico sobre o estágio da eficiência neste tipo de obra. A metodologia utilizada baseou-se em etapas de revisão bibliográfica e na realização de um estudo de campo envolvendo 20 entrevistas. Destas entrevistas, 10 foram realizadas com os gestores de 10 obras de reforma e as outras 10 entrevistas foram realizadas com profissionais de diferentes agentes atuantes no setor da construção civil. A diversidade dos entrevistados foi produto da busca por descrever um panorama geral da autogestão conforme as diferentes perspectivas. No estudo de campo concluiu-se que a informalidade neste setor é um resultado da busca do menor preço pelo autogestor, e do cliente pela mão-de-obra. Apesar de ser denominado como autogestor da obra, nos casos analisados, a gestão da obra é realizada com grande tendência ao insucesso, pois os autogestores não possuem conhecimento suficiente para tomar as decisões de uma obra e, não contratam profissionais habilitados para tal. Estas características podem ser resumidas na opinião generalizada dos empreendedores obra é sinônimo de problema. Desta forma espera-se, como resultado desta pesquisa, contribuir com uma melhoria na gestão desta tipologia de obra e, indiretamente, aumentar a eficiência no uso de recursos utilizados nas suas atividades.

  • Contribuição à metodologia de avaliação das emissões de dióxido de carbono no ciclo de vida das fachadas de edifícios de escritórios PDF
    • Aluno: Vanessa Montoro Taborianski Bessa
    • Orientador: Racine Tadeu Araujo Prado
    • Categoria: Doutorado
    • Ano: 2010

    A indústria da construção civil é uma das principais fontes emissoras de poluição devido ao alto consumo de energia em seu ciclo de vida. Além da energia empregada na construção do edifício, durante sua operação, diversos sistemas também a utilizam, entre os quais se destaca, o sistema de condicionamento de ar. O consumo de energia por esse sistema está relacionado, entre outras coisas, com a temperatura do ar no ambiente externo e a requerida internamente pelo edifício. As fachadas são os elementos pelos quais se dá a maior parcela de transferência de calor do ambiente externo para o interno em edifícios altos. Assim, o tipo de fachada influi no consumo de energia no ciclo de vida dos edifícios e, conseqüentemente, contribui também para a emissão de CO2 pelos edifícios, pois a emissão deste gás está diretamente ligada ao consumo de energia. Desse modo, o objetivo deste trabalho é contribuir para o desenvolvimento da metodologia de avaliação das emissões de CO2 geradas durante o ciclo de vida das fachadas de edifícios de escritório. Os resultados, para os parâmetros considerados neste trabalho, mostram que as fachadas em structural glazing com vidro incolor são as que mais emitem CO2 ao longo de seu ciclo de vida, seguidas das fachadas em alvenaria e revestidas com painéis de alumínio composto ou ACM (Aluminium Composite Material), fachadas em structural glazing com vidro refletivo e fachadas em alvenaria revestidas com argamassa. Por fim, realizou-se uma análise para se avaliar a incerteza dos resultados deste estudo.

  • A cidade real e a legal na cidade de São Paulo PDF
    • Aluno: Evaldo Grasso Nunes
    • Orientador: Witold Zmitrowicz
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2010

    As cidades do mundo, atualmente, abrigam mais da metade da população do planeta. A cidade de São Paulo possui a maior população urbana do continente sul americano, e está entre as cinco maiores cidades do mundo. A fim de organizar o espaço urbano com vistas ao desenvolvimento e controlar a construção das edificações para que mantenham condições aceitáveis de habitabilidade e segurança para si e para o seu entorno, a cidade de São Paulo vem criando leis urbanas, como Zoneamento de 1972 e de 2004, com o objetivo de ordenar o uso e a ocupação do solo, e os Códigos de Obras, como os de 1934, 1975 e 1992, que fixaram os parâmetros de construção das edificações. No entanto, grande parte de sua população constrói suas moradias de forma irregular ou clandestina, sem levar em conta as regras urbanas impostas por essas leis. Este trabalho irá investigar as causas dessa informalidade, em especial as habitações produzidas pela população de mais baixo poder aquisitivo, e procurará trazer soluções para o problema.

  • Alteração do comportamento reológico da suspensão cimentícia aplicada sobre substratos porosos PDF
    • Aluno: Waleska da Silva Barbosa
    • Orientador: Rafael Giuliano Pileggi
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2010

    As argamassas de revestimento são amplamente utilizadas na construção civil e, suas propriedades no estado endurecido são fortemente influenciadas pelas propriedades no estado fresco, as quais dependem de fatores como: materiais empregados; forma de aplicação; e interação entre substrato e argamassa. Os ensaios utilizados para caracterização reológica das argamassas não contemplam as alterações que ocorrem devido o contato com o substrato, gerando discordâncias nas teorias sobre os fenômenos pelo qual ocorre a resistência de aderência. Sendo assim, o presente trabalho visa identificar as alterações do comportamento reológico de suspensões cimentícias aplicadas em substratos porosos por meio do ajuste do método do squeeze-flow. Para tanto, foram utilizadas duas configurações do squeeze-flow, com e sem confinamento do fluxo radial; três tipos de base, sendo uma metálica e duas porosas; e, pastas com diferentes materiais, a saber: cimento; cal e areia. A escolha da pasta ao invés da argamassa foi basicamente por duas razões: primeiro, porque a pasta é a parcela da argamassa mais suscetível aos efeitos de sucção capilar do substrato; e segundo, para simplificar o cenário de análise, eliminando a variável areia. Ambas as configurações apresentaram-se viáveis na identificação da alteração do comportamento reológico da pasta, devido aos fatores como: tipo de substrato; o tempo de contato entre pasta e substrato; perda de água da pasta; e energia de mistura.||Além disso, observou-se que os procedimentos adotados, assim como o auxílio de outros ensaios, podem colaborar em estudos da influência de fatores como: temperatura; rugosidade; ângulo de contato; distribuição granulométrica de pastas e argamassas; e, principalmente, compreender os fenômenos que ocorre no período denominado como tempo de puxamento, ao passo que este influencia diretamente na resistência de aderência.


Anterior Próximo
    1. . .  24    25    26    27    28    29    30    31    32    33  . . . 157