Teses, Dissertações e Monografias

Acesse a listagem abaixo para conhecer algumas das teses, dissertações e monografias desenvolvidas pelos alunos de pós-graduação do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica.

A consulta também pode ser feita na biblioteca de Engenharia Civil pelos telefones (11) 3091-5204 e 3091-9023, fax (11) 3091-5125 ou pelo e-mail biblioteca.civil@poli.usp.br.

Para saber o horário e o local das próximas qualificações e defesas, acesse o site Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil – PPGEC. e do ConstruINOVA - Mestrado Profissional em Inovação na Construção Civil.

Para conhecer as diretrizes de elaboração de teses e dissertações clique no link ou acesse o site da Biblioteca Digital.

Importante: a consulta aos arquivos das teses e dissertações fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:

Este trabalho é para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar o nome da pessoa autora do trabalho.

Buscar teses, dissertações e monografias
  • Modelo para a simulação de vazões de projeto em sistemas prediais de água com medição individualizada empregando a lógica nebulosa e o método de Monte Carlo PDF
    • Aluno: Lúcia Helena de Oliveira
    • Orientador:
    • Categoria: Livre docência
    • Ano: 2010

    Atualmente, por facilidade de cálculo e também por recomendação da NBR 5626 (ABNT, 1998), a vazão de projeto em sistemas prediais de água é determinada pelo método empírico dos pesos relativos. O método probabilístico, apesar de ser citado na referida norma, não tem sido utilizado pelos projetistas. Vários trabalhos têm comprovado a eficiência do método probabilístico proposto por Gonçalves (1986), o qual tem sido considerado por pesquisadores da área o mais adequado, por levar em conta as condições reais de cada situação de projeto, que são representadas por variáveis aleatórias relacionadas ao uso da água no interior dos edifícios. Todavia, considerando-se que o uso de alguns aparelhos sanitários, em especial o do chuveiro, depende do comportamento subjetivo dos usuários, o objetivo deste trabalho é propor um modelo para a simulação de vazões de projeto em sistemas prediais de água com medição individualizada empregando os conceitos da lógica nebulosa, para as variáveis nebulosas, e do método de Monte Carlo, para as variáveis aleatórias, visando assim uma maior precisão nos resultados de vazão de projeto. A metodologia utilizada foi o desenvolvimento de um modelo teórico que contempla os conceitos de lógica nebulosa, para determinar o tempo de banho dos usuários, e o método de Monte Carlo para o estabelecimento da aleatoriedade de início de utilização dos aparelhos sanitários. Para validar os valores de duração de banho, determinados por lógica nebulosa, foi realizado um monitoramento em tempo real dos pontos de utilização de um apartamento habitado por três estudantes, por um período de vinte dias, cujos resultados favoráveis a abordagem da lógica nebulosa.||Os resultados do modelo de simulação, em um ramal de alimentação de um sistema de medição individualizada, apresentaram valores de vazão cerca de 30% menores que os obtidos pelo método dos pesos relativos e similares aos do modelo probabilístico, porém com a vantagem de mostrar o comportamento das vazões durante todo o período de pico e não, somente, o valor máximo em uma dada seção. Assim, a determinação das vazões de projeto por meio deste modelo pode contribui para a obtenção de hidrômetros mais acuados e, também, para o dimensionamento mais adequado de tubulações e de componentes dos sistemas prediais de água.

  • Contribuição ao controle tecnológico de concretos estruturais de cimento Portland em ambientes marítimos PDF
    • Aluno: Antonio Nereu Cavalcanti Filho
    • Orientador: Silvia Maria de Souza Selmo
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2010

    A durabilidade dos edifícios em concreto armado só pode ser alcançada, se atendido um conjunto de requisitos nas etapas de projeto, execução e manutenção. As normas brasileiras de projeto e execução de estruturas de concreto armado já incorporaram grande parte da evolução tecnológica havida nesse campo, nas últimas décadas, a partir da ABNT NBR 6118 (2003). Mas, ainda falta a evolução correspondente para os procedimentos de controle tecnológico do concreto pela ABNT NBR 12655 (2006). O concreto passou a ser especificado por critérios não só de resistência, mas também de relação água/cimento máxima e consumo mínimo de cimento, enquanto controles de recebimento continuam sendo feitos, na prática, apenas por critérios de abatimento e de atendimento à fck,est ? resistência característica à compressão estimada. Esta é uma variável importante do projeto estrutural, mas pode não responder de forma eficiente pela qualidade do concreto de cobrimento de proteção das armaduras. Esta visão é partilhada por outros especialistas no Brasil e no estrangeiro, como demonstra o estado da arte recente apresentado nos capítulos iniciais deste trabalho. Esta pesquisa visa contribuir para a evolução de procedimentos para o controle tecnológico de concretos estruturais, em atmosferas marítimas e urbanas em clima tropical. O programa experimental objetivou iniciar estudos de certas propriedades do concreto, desde o estado fresco e a baixas idades e analisar a sua eficiência em prever propriedades físicas e mecânicas finais do concreto estrutural, relacionadas à sua capacidade potencial de proteção das armaduras, em estruturas usuais de edifícios de múltiplos andares, para três diferentes lotes de concretos estruturais, de fck 30 MPa e para ambiente classe III da ABNT NBR 6118 (2003).||A amostragem e a moldagem dos corpos-de-prova foram realizados no âmbito de concretagens conduzidas em duas obras de edifício, na cidade de João Pessoa/PB, e as composições e a produção dos lotes ficaram a cargo das respectivas centrais dosadoras e fornecedoras do concreto. As propriedades estudadas no estado fresco foram: abatimento do tronco de cone, massa específica, compactabilidades do concreto adensado e não-adensado, teor de ar pelo método pressométrico e umidade. Para estudo das propriedades no estado endurecido, o concreto foi maturado por métodos adaptados do tipo A da ASTM 684 C (999), e certas propriedades foram ainda caracterizadas para condições normais de cura. As propriedades estudadas no estado endurecido foram: resistência à compressão, resistência à tração por compressão diametral, absorção de água por capilaridade, absorção de água total e índice de vazios, resistência à carbonatação e resistência à penetração de cloretos. Foi então feita uma análise descritiva de valores médios, desvios padrão, coeficientes de variação e amplitudes para cada lote. Na sequência foram avaliadas que propriedades puderam então antecipar e melhor se relacionar à resistência à carbonatação e à penetração de cloretos nos concretos, em ensaios acelerados até 91 dias. As propriedades também foram correlacionadas de modo conjunto, independente do lote de origem. Os resultados evidenciam ser possível adotar os métodos de cura acelerada, em temperatura amena e de modo adaptado ao tipo A da ASTM C 684 (1999), para prever a resistência do concreto a 28 dias, a partir de ensaios entre 1 e 7 dias. Isto possibilita também a aplicação desse tipo de cura, para análise mais ágil de outras propriedades físicas e mecânicas do concreto, seja em estudo de dosagem ou no controle tecnológico de obras.||Pelos resultados, observou-se ainda que a especificação e o controle tecnológico do concreto deveriam levar em conta outras propriedades no estado fresco, tais como a massa específica compactabilidades e o teor de ar pelo método pressométrico. Isto porque essas propriedades apresentaram capacidade de se correlacionarem com propriedades mecânicas e de resistência a agentes agressivos, em especial a o ensaio de teor de ar pelo método pressométrico que apresentou correlações razoáveis a fortes, entre outras com a resistência à compressão a 28 dias (r² = -0,698, para os lotes 1 e 2), com a resistência à tração por compressão diametral por cura acelerada a 7 dias (r² = -0,818, para os lotes 1 e 2) e por cura normal a 91 dias (r² = -0,797) e com a profundidade de carbonatação por câmara de CO2 (r² = 0,699, para lotes 1 e 2). A resistência à tração por compressão diametral resultou em correlações razoáveis a forte com a profundidade de ingresso de íons cloreto (r² = -0,682 para diametral e acelerado a 7 dias e r² = -0,827 para ensaio diametral a 91 dias). Houve ainda correlação razoável entre a resistência à compressão a 1 dia por cura acelerada dos lotes e as medidas indicadoras de durabilidade, tais como a profundidade de carbonatação por câmara de CO2 a 5% (r² = -0,750) e com a penetração de cloretos (r² = -0,738) por três ciclos de imersão e secagem. Assim, esta pesquisa conclui e propõe que além do teor de ar e massa específica no estado fresco, a resistência à compressão a 1 dia e a tração por compressão diametral, por cura acelerada do Tipo A da ASTM C 684 (1999), sejam propriedades que também passem a ser avaliadas em concretos, com vistas a melhorar e controlar a sua resistência a agentes agressivos. Futuros trabalhos de laboratório e campo devem confirmar e justificar essa interpretação do ponto de vista micro-estrutural.||Por ora, espera-se com estes resultados estimular novas práticas de qualificação e recebimento de concretos pré-misturados, por laboratórios especializados com vistas à futura evolução de procedimentos da ABNT NBR 12655 (2006).

  • Desempenho energético e caracterização dos sistemas de aquecimento de água de piscinas PDF
    • Aluno: Claudio Azer Maluf
    • Orientador: Racine Tadeu Araujo Prado
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2010

    O objetivo deste trabalho é investigar o desempenho energético de dois diferentes tipos de sistemas de aquecimento de piscinas: á gás natural e por bomba de calor elétrica. Foi realizada instrumentação em duas piscinas localizadas em uma mesma academia, cada uma delas dotada de um dos tipos de sistema de aquecimento. Além destas duas piscinas, que são objeto de investigação desta pesquisa, outras quatro piscinas, localizadas cada uma em um local distinto na cidade de São Paulo, também receberam instrumentação e a coleta de dados está sendo executada através de sistemas de aquisição de dados, para posterior análise e novos trabalhos de pesquisa. Como resultados da análise das duas piscinas, obteve-se um coeficiente de desempenho - COP, médio para o sistema de aquecimento por bomba de calor igual a 4. Para o sistema a gás natural, os resultados para a eficiência global do sistema indicaram 76%, ao passo que o rendimento apenas dos aquecedores foi de 82%. As análises dos dados permitiram comprovar a influência da temperatura ambiente sobre o COP da bomba de calor. Quanto menor a temperatura do ar, menor o COP. A Temperatura do ar também mostrou forte influência sobre o consumo de energia.

  • Gestão de obras habitacionais construídas por mutirão PDF
    • Aluno: Vicente De Capitani Ojeda
    • Orientador: Luiz Reynaldo de Azevedo Cardoso
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2010

    A construção de habitação utilizando sistema de mutirão, ainda utilizada por alguns órgãos públicos a fim de reduzir os custos da obra e ajudar na redução do déficit habitacional no país é o foco deste trabalho. Seu objetivo é a avaliação da gestão de obras de mutirão, com o desenvolvimento de critérios para estudar a gestão do empreendimento, abordando gestão de produção, gestão de suprimentos, gestão de pessoas, gestão ambiental, gestão de segurança, gestão de custos e qualidade do produto. Com esse fim, o trabalho apresenta uma revisão bibliográfica sobre mutirão, com histórico e conceitos, define os critérios para a avaliação da gestão de execução da obra e a avalia em dois casos. Ambos tiveram uma avaliação regular, sendo a parte do planejamento a mais crítica. A duração da obra ficou condicionada aos problemas encontrados fora da obra – falta de recurso e problemas na compra de material.

  • Custos de infra-estrutura PDF
    • Aluno: Evandro José da Silva Eloy
    • Orientador: Luiz Reynaldo de Azevedo Cardoso
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2010

    Este trabalho apresenta parâmetros de custos para implantação de redes de infra-estrutura urbana (drenagem, pavimentação, água, esgoto, energia elétrica e arborização) em parcelamentos de solo realizados em uma cidade média do interior do estado de São Paulo. Realiza-se a análise dos sistemas de infra-estrutura, dos métodos para estimativas de custos e do processo para aprovação de projetos, decompondo e caracterizando as diversas partes constituintes. Através dos estudos de caso são apresentados os custos dos diferentes subsistemas e a incidência desses no sistema de infra-estrutura urbana como um todo. Espera-se contribuir para o entendimento dos fatores que condicionam os custos dos sistemas utilizados em cidades médias.


Anterior Próximo
    1. . .  25    26    27    28    29    30    31    32    33    34  . . . 157