Teses, Dissertações e Monografias

Acesse a listagem abaixo para conhecer algumas das teses, dissertações e monografias desenvolvidas pelos alunos de pós-graduação do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica.

A consulta também pode ser feita na biblioteca de Engenharia Civil pelos telefones (11) 3091-5204 e 3091-9023, fax (11) 3091-5125 ou pelo e-mail biblioteca.civil@poli.usp.br.

Para saber o horário e o local das próximas qualificações e defesas, acesse o site Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil – PPGEC. e do ConstruINOVA - Mestrado Profissional em Inovação na Construção Civil.

Para conhecer as diretrizes de elaboração de teses e dissertações clique no link ou acesse o site da Biblioteca Digital.

Importante: a consulta aos arquivos das teses e dissertações fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:

Este trabalho é para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar o nome da pessoa autora do trabalho.

Buscar teses, dissertações e monografias
  • O desenvolvimento do mercado de edifícios de escritórios para locação na cidade de São Paulo impulsionado pela securitização PDF
    • Aluno: Andrea Romano dos Santos
    • Orientador: João da Rocha Lima Júnior
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2006

    A construção civil e mais especificamente os empreendimentos de base imobiliária necessitam de grandes volumes de recursos concentrados em um curto período para o desenvolvimento de seus produtos, cujo payback(1) é de horizonte largo, dependendo assim de ferramentas que permitam alavancar os empreendimentos para que os recursos sejam utilizados nas atividades fim das empresas deste setor. Desta forma, o setor ganha em produtividade, competitividade e agilidade, incluindo a diminuição da rotatividade de sua mão-de-obra. A securitização vem ao encontro dos interesses do setor por ser um sistema flexível para a captação dos recursos que possibilita o re-direcionamento de recursos da poupança brasileira para o mercado de empreendimentos de base imobiliária. É neste contexto que o presente trabalho apresenta a securitização de empreendimentos de base imobiliária, mais especificamente de edifícios de escritório voltados à locação, como um vetor de impulsão deste mercado a partir do momento que se torna uma alternativa de investimento atrativa aos poupadores, da mesma forma como é vista em países onde este já é um procedimento consagrado. Como o Brasil ainda tem um mercado incipiente, o mercado americano, que já apresenta maturidade, será utilizado como referência para as projeções que serão feitas acerca do desenvolvimento da securitização no Brasil. Com isto, com a projeção das expectativas para o mercado paulistano de edifícios de escritórios e com a demonstração||da atratividade dos papéis, pretende-se mostrar que a securitização é um meio de funding(2) que pode sustentar grande parte da demanda por recursos para a implantação de novos produtos deste mercado. ) Notas de rodapé: (1) Indicador que mostra a possibilidade da retomada da capacidade de investimento daquele que imobiliza seus recursos em determinado empreendimento. Trata-se, portanto, de um indicador do prazo de recuperação da capacidade de investimento. Sendo assim, payback longo implica na necessidade de imobilização de recursos por períodos longos para que se retome a capacidade de investimento inicial. (2) Palavra inglesa que se refere aos recursos destinados a um propósito específico. No texto, funding será utilizada em referência à aglutinação dos recursos necessários para a implantação de determinado empreendimento, sejam eles recursos do próprio empreendedor, recursos de financiamento, ou de terceiros

  • Referenciais tecnológicos para a construção de edifícios PDF
    • Aluno: Fabiana da Rocha Cleto
    • Orientador: Francisco Ferreira Cardoso
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2006

    Os referenciais tecnológicos são documentos técnicos de referência, não normativos, elaborados e consensualizados por agentes da cadeia produtiva, visando à disseminação das boas práticas para o processo de produção de edifícios (planejamento, projeto, execução, uso, manutenção e pós-uso), com o intuito de se obter qualidade e adequado desempenho do produto final, bem como de consolidar e difundir o conhecimento no setor. Documentos como esses já são efetivamente utilizados em diversos países, como modelos de códigos de práticas (model codes ou codes of practices) e guias de práticas recomendadas (best practice guides); enquanto a construção civil brasileira, apesar de algumas iniciativas, ainda está aquém do desejado nessa área. Assim, o objetivo dessa dissertação é analisar, discutir e propor orientações técnicas, metodológicas e institucionais para a elaboração e implementação de referenciais tecnológicos para o setor de edificações no Brasil. Para tanto, faz-se uma pesquisa e caracterização de documentos nacionais, como cadernos de encargos e manuais técnicos, discutindo a estrutura e o conteúdo dos mesmos e mostrando ainda, por meio de um estudo de caso, a aplicação prática de um documento utilizado em habitações de interesse social no Estado de São Paulo (Manual de Controle de Obras e Serviços). Apresentam-se, ainda, alguns documentos estrangeiros, além de um estudo mais detalhado sobre os documentos técnicos utilizados na França (Documents||Techniques Unifiés - DTU), discutindo-se a sua adaptação à realidade brasileira. ) Conclui-se o trabalho analisando, dentre outros fatores, o conceito de referenciais tecnológicos, seu contexto e interfaces, dando orientações quanto à estrutura e ao conteúdo de documentos desse tipo e citando dificuldades e oportunidades de desenvolvimento e aplicação dos mesmos, bem como a necessidade de ações paralelas, incluindo de natureza institucional, que contribuam para o seu uso prático e efetivo

  • Contribuição ao desenvolvimento de programas sobre a durabilidade de reparos de argamassa, em estruturas de concreto com corrosão de armaduras PDF
    • Aluno: Renata Spinelli Bertolo Buonopane
    • Orientador: Silvia Maria de Souza Selmo
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2006

    No setor da Construção Civil, o conceito de Desenvolvimento Sustentável proposto pela ONU, na Agenda XXI, demanda a evolução das tecnologias de manutenção dos edifícios. Neste contexto reside a importância deste trabalho, que visa contribuir para o desenvolvimento de programas de durabilidade de sistemas de reparos de argamassas em estruturas de concreto com corrosão de armaduras, uma das tecnologias mais usuais na manutenção corretiva dessas estruturas. A durabilidade de reparos de argamassas é uma propriedade complexa e definida por um conjunto de variáveis que envolvem além das características intrínsecas das argamassas, muitos outros aspectos de projeto, execução e manutenção, como mostra o estado da arte aqui apresentado. Este estudo propõe uma sugestão para futura normalização de materiais de reparo, devido à grande diversidade destes materiais disponíveis no mercado nacional sem normalização para fabricação, especificação e execução dos serviços. O programa experimental é um estudo complementar de análise das argamassas de Moreno Júnior (2002) e Medeiros (2002) e do concreto de referência desses trabalhos, com fck igual a 25 MPa. O objetivo principal aqui foi comparar o nível de proteção potencial oferecido pelas argamassas às barras de aço, por envelhecimento de alguns dos corpos-de-prova de Medeiros (2002), em condições de exposição favoráveis à carbonatação e retração lenta. Por cerca de 650 dias adotou-se umidade relativa baixa 50% ± 10%,||seguida pela ciclagem higro-térmica dos corpos-de-prova em câmara úmida, com umidade relativa 95% ± 5%, temperatura 23°C ± 2°C, e depois em estufa a 40°C. Essa alternância de umidade pode ser crítica para a durabilidade dos reparos apenas a médio e longo prazo, principalmente em obras com condições agressivas de exposição dos elementos reparados ao intemperismo, e que sejam inicialmente tratadas por sistemas superficiais de proteção. ) A proteção superficial perde sua eficácia com o passar do tempo e, não havendo manutenção regular, expõe os reparos a condições de deterioração bem diferente da situação inicial e seca dos primeiros anos de reparo. Concluiu-se que: a) as argamassas de reparo experimentaram valores de retração lenta por secagem muito superior aos das movimentações higro-térmicas pela ciclagem; b) o nível de proteção ao aço oferecido pelas argamassas apenas se diferencia em umidade relativa muito elevada, pois na condição de atmosfera ambiente normal em laboratório, a impedância resistiva das treze argamassas estudadas equipara-se a valores considerados de média proteção, independente da resistência à compressão e à carbonatação, e da absorção e porosidade capilar ou microestrutura; c) a ciclagem higro-térmica parece ter interferido na porosidade das argamassas, e a porosimetria indicou tendência à diminuição do tamanho médio dos poros. Os experimentos permitiram ainda constatar, pela ciclagem higro-térmica deste trabalho, muita heterogeneidade na evolução||da frente de carbonatação para algumas das argamassas. Houve certas evidências de relação deste comportamento com o teor de ar no estado fresco. O estudo de previsão de durabilidade de reparos localizados com essas argamassas deve prosseguir em pesquisas dessa natureza e de suscetibilidade à formação de macrocélulas. Até aqui não se viram vantagens técnicas consideráveis para o emprego de argamassas de reparo de alta resistência para reparos localizados em estruturas de concreto convencionais ou comuns com corrosão de armaduras por carbonatação, principalmente se não houver um controle de aplicação das argamassas que possa ser efetivo para interferir nas variáveis de preparo, aplicação e cura, que por sua vez têm grande influência também nas características finais do reparo

  • Qualidade do ar interno com ênfase na concentração de aerodispersóides nos edifícios PDF
    • Aluno: Alexandre Perri de Moraes
    • Orientador: Racine Tadeu Araujo Prado
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2006

    No presente trabalho, avaliou-se a qualidade do ar interno com ênfase na concentração de aerodispersóides nos edifícios. Para tanto, a caracterização dos medidores e a análise das interações dos contaminantes medidos com o sistema de ventilação ou de climatização são realizados a partir de um enfoque sistêmico e de desempenho. A metodologia da pesquisa considerou a coleta de melhores informações, essenciais para a qualidade do ar interno e, especialmente, em um contexto de saúde pública. Neste trabalho, buscou-se analisar a concentração de aerodispersóides entre edifícios com sistemas diferentes, além de pesquisar as principais fontes de emissão de aerodispersóides em um edifício. Os resultados da concentração média em massa de aerodispersóides menores que 10 µm e em número de aerodispersóides menores que 1 µm foram respectivamente de 95 µg/m³ e 10.675 part./cm³

  • Argamassas com adição de fibras de polipropileno - estudo do comportamento reológico e mecânico PDF
    • Aluno: Rosiany da Paixão Silva
    • Orientador: Mércia Maria Semensato Bottura de Barros
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2006

    Os revestimentos de argamassa inorgânica atualmente produzidos têm apresentado problemas precoces, sobretudo quando aplicados nas fachadas de edifícios. Buscando evitar as anomalias surgidas, muitos projetistas e construtores têm procurado soluções alternativas, dentre as quais aparece o emprego de argamassas com adição de fibras. Porém, o conhecimento sobre o comportamento deste compósito é muito empírico, principalmente no Brasil, onde inexistem pesquisas sistêmicas sobre o assunto. A partir deste contexto, o presente trabalho tem por objetivo investigar a influência da adição de fibras de polipropileno em argamassas para revestimento, no que se refere ao seu comportamento reológico e mecânico. Para o estudo do comportamento reológico, foi realizada avaliação laboratorial, utilizando a técnica de ensaio squeeze flow; e avaliação de aplicabilidade quanto à execução do revestimento, utilizando o conhecimento de um operário experiente. Para o estudo do comportamento mecânico, foram realizadas avaliações laboratoriais, utilizando as técnicas de ensaio relativas à avaliação da resistência à tração na flexão, resistência à compressão e módulo de elasticidade dinâmico. Os compósitos de argamassa produzidos no trabalho apresentam variação na matriz e na fibra. A variação na matriz compreende o tipo de argamassa e a dosagem de água: foram utilizadas duas argamassas largamente empregadas no mercado da Construção Civil - uma com baixo teor de ar incorporado||(da ordem de 5%) e outra com alto teor (da ordem de 30%); e foram utilizados seis teores de água. Quanto à fibra, empregou-se um só tipo, com 6mm de comprimento, fazendo-se variar o seu teor na mistura, com cinco dosagens distintas. Como resultado, foi constatado que a adição de fibras conferiu um potencial melhoria no comportamento reológico das argamassas investigadas, sem afetar de forma significativa no comportamento mecânico. ) O que, diante deste resultado, pode-se vislumbrar o potencial das fibras incorporadas à argamassa para o melhor desempenho do revestimento


Anterior Próximo
    1. . .  47    48    49    50    51    52    53    54    55    56  . . . 157