Teses, Dissertações e Monografias

Acesse a listagem abaixo para conhecer algumas das teses, dissertações e monografias desenvolvidas pelos alunos de pós-graduação do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica.

A consulta também pode ser feita na biblioteca de Engenharia Civil pelos telefones (11) 3091-5204 e 3091-9023, fax (11) 3091-5125 ou pelo e-mail biblioteca.civil@poli.usp.br.

Para saber o horário e o local das próximas qualificações e defesas, acesse o site Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil – PPGEC. e do ConstruINOVA - Mestrado Profissional em Inovação na Construção Civil.

Para conhecer as diretrizes de elaboração de teses e dissertações clique no link ou acesse o site da Biblioteca Digital.

Importante: a consulta aos arquivos das teses e dissertações fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:

Este trabalho é para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar o nome da pessoa autora do trabalho.

Buscar teses, dissertações e monografias
  • Certificações 'setoriais' da qualidade e microempresas PDF
    • Aluno: Francisco Ferreira Cardoso
    • Orientador:
    • Categoria: Livre docência
    • Ano: 2003

    Com o acirramento da concorrência e as permanentes mudanças de paradigmas, vêm ocorrendo profundas transformações nas empresas e na estrutura da cadeia produtiva do subsetor da construção de edifícios brasileiro. Todos os agentes passam a buscar melhoria de desempenho técnico-econômico, para desenvolverem, terem mais lucros, serem mais competitivos, melhor respondendo às expectativas dos clientes. Como conseqüência, importantes ações, envolvendo a implementação de certificações evolutivas adaptadas aos diferentes agentes, baseadas em sistemas de gestão da qualidade e compatíveis com a norma ISO 9001 têm sido levadas adiante. O mesmo tem ocorrido na França, cujo modelo de certificação 'setorial' serviu de base para a formulação da primeira certificação brasileira. Estima-se que no Brasil mais de 2.000 empresas do setor estejam implementando sistemas de gestão da qualidade, e mais de dois terços delas já possuem sistemas certificados por organismos de terceira parte. Isso traz repercussões muito importantes para suas estruturas organizacionais e formas de gestão, assim como para as relações entre agentes da cadeia produtiva. Contratantes e organismos de financiamento públicos, em comum acordo com as entidades setoriais, têm exigido a certificação evolutiva de seus clientes e fornecedores, principalmente das empresas construtoras, e também a conformidade às normas, no caso de produtos da construção. Por outro lado, o subsetor da construção de edifícios é extremamente||fragmentado e composto essencialmente por microempresas e por empresas de pequeno porte. Essas possuem características próprias e apresentam grandes dificuldades para acompanhar os novos desafios colocados. Embora desempenhem um papel fundamental, não têm merecido a devida atenção dos programas setoriais implementados desde a metade dos anos 1990 e nem da academia. ) Essa pesquisa teve como objetivo trazer a tona o debate sobre as empresas de menor porte, estudando a relação microempresa, sistema de gestão da qualidade e contratação. Ela traz como principal resultado a formulação, a luz da experiência francesa, de uma nova certificação 'setorial' para o Brasil, para empresas especializadas em serviços de execução, que muitas vezes atuam como subempreiteiras. Para tanto, analisa a questão 'microempresa e sistema de gestão da qualidade', discutindo o papel estratégico da implementação desse sistema e as características particulares desse tipo de organização. Avalia igualmente as certificações ´setoriais´ existentes nos dois países e os papéis que têm enquanto mecanismos de aprimoramento organizacional e gerencial, dos produtos e das relações entre agentes do setor. Finalmente, discute em que medida a certificação de sistemas pode ser usada como critério de seleção de empresas, em compras públicas. Ela desenvolveu-se em grande parte no Centre Scientifique et Technique du Bâtiment - CSTB, a mais importante instituição francesa de pesquisa e desenvolvimento em edificações,||onde o pesquisador realizou estágio de pós-doutoramento entre 2001-03. Ela é baseada na experiência do autor, em estudos teóricos e em estudos de caso, conduzidos tanto no Brasil como na França

  • Metodologia de avaliação do potencial de reciclagem de resíduos PDF
    • Aluno: Sérgio Eduardo Zordan
    • Orientador: Vanderley Moacyr John
    • Categoria: Doutorado
    • Ano: 2003

    Esta pesquisa propõe uma metodologia para avaliar o potencial de reciclagem de resíduos e indicar as aplicações mais sustentáveis, considerando aspectos econômicos, de mercado, ambientais e de risco à saúde humana. A idéia central é avaliar o uso do resíduo baseado em suas características e propriedades físico-químicas e, a partir disso, identificar áreas potenciais que possam absorvê-lo da forma mais sustentável possível. A avaliação da aplicabilidade será feita com base em requisitos identificados por especialistas de diversas áreas. A metodologia foi testada para avaliar o potencial de reciclagem dos resíduos de tratamento de esgoto e dos resíduos de construção e demolição (RCD)

  • Diretrizes para elaboração de planos da qualidade em empreendimentos da construção civil PDF
    • Aluno: Luiz Augusto dos Santos
    • Orientador: Silvio Burrattino Melhado
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2003

    Os diferentes programas e sistemas de gestão de qualidade, como o QUALIHAB, o PBQP-H e a ISO 9000, vêm sendo disseminados no mercado da construção civil como meio das empresas obterem qualidade nos empreendimentos. Contudo, a implantação dos programas e sistemas de gestão não conseguiu dar garantias à qualidade dos empreendimentos, principalmente quando há superposição dos sistemas de gestão dos participantes envolvidos. Como forma de transpor estes obstáculos, buscou-se caracterizar e analisar, criticamente, a implementação de sistemas de gestão de qualidade com o intuito de obter subsídios à elaboração de planos de qualidade aplicáveis ao modo específico da construção civil. O desenvolvimento do trabalho foi feito a partir da revisão bibliográfica e estudos de caso realizados em empreendimentos de construção civil, privados e públicos, envolvendo empresas construtoras, empresas gerenciadoras, uma empresa de consultoria e profissionais autônomos na área de qualidade. O trabalho propõe diretrizes para a elaboração de planos de qualidade em empreendimentos da construção civil, principalmente no que se refere à evolução dos sistemas de gestão da qualidade, que passariam a ser aplicados ao empreendimento e não à estrutura interna das organizações.

  • Novas tecnologias construtivas para produção de vedações verticais PDF
    • Aluno: Erika Paiva Tenório de Holanda
    • Orientador: Mércia Maria Semensato Bottura de Barros
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2003

    Dentre as diversas "novas formas de produção" que as empresas construtoras do subsetor edificações têm lançado mão, aparece fortemente o emprego de novas tecnologias, como alternativa para melhorarem seu desempenho e se diferenciarem no mercado. No entanto, entende-se que a melhoria da qualidade do processo de produção, com a introdução de novas tecnologias, deve passar, necessariamente, pela melhor capacitação da mão-de-obra, o que pode ser obtida através de um adequado processo de treinamento. Partindo-se deste pressuposto, buscou-se compreender como vem se dando a participação da mão-de-obra de produção na evolução dos métodos construtivos, particularmente para a produção de vedações verticais. Para isto, realizou-se uma revisão bibliográfica enfocando a evolução desses métodos, desde o Brasil colônia até os dias atuais e, além disso, levantou-se as características da mão-de-obra de produção, tanto na indústria da construção civil como na seriada. Como resultado desse levantamento, verificou-se que o treinamento tem sido um fator fundamental para a evolução dos processos de trabalho, sobretudo na indústria seriada. A partir desta constatação, buscou-se identificar como o treinamento tem sido encarado pelas empresas envolvidas com a produção de edifícios. Esta etapa do trabalho foi realizada através de uma pesquisa de campo em que se analisou os treinamentos oferecidos por empresas construtoras, subempreiteiras e fabricantes de materiais e componentes, quando da implantação de novas tecnologias, em particular a alvenaria racionalizada e as divisórias de gesso acartonado. Finalmente, reunindo-se os dados da bibliografia estudada com os da pesquisa de campo, foi possível confirmar o pressuposto inicialmente apresentado e, procurando contribuir com o meio técnico, assumiu-se como objetivo principal do trabalho a proposição de diretrizes que possam balizar o treinamento da mão-de-obra de produção.||Acredita-se que a implantação das diretrizes aqui propostas contribuirá para a evolução da capacitação dos operários, com um conseqüente aumento da melhoria do processo de produção dentro das empresas do setor, acarretando num aumento de sua competitividade.

  • Avaliação da sustentabilidade de edifícios de escritórios brasileiros PDF
    • Aluno: Vanessa Gomes da Silva
    • Orientador: Vahan Agopyan
    • Categoria: Doutorado
    • Ano: 2003

    O conceito de análise de ciclo de vida embasou o desenvolvimento das metodologias de avaliação ambiental de edifícios que surgiram estrategicamente na década de 90 para o cumprimento de metas ambientais locais estabelecidas na Eco'92. Atualmente, praticamente cada país europeu - além de Estados Unidos, Canadá, Austrália, Japão e Hong Kong - possui um sistema de avaliação de edifícios. Todos estes métodos partilham o objetivo de encorajar a demanda do mercado por níveis superiores de desempenho ambiental. E todos eles concentram-se exclusivamente na dimensão ambiental da sustentabilidade. Este trabalho teve como objetivo a demonstração da hipótese que importar métodos estrangeiros existentes não é a melhor solução para avaliar edifícios de escritórios no Brasil, e que um método de avaliação deve ser desenvolvido à luz das prioridades, condições e limitações brasileiras. A discussão metodológica dos sistemas existentes e os estudos de casos realizados demonstraram que (1) não é possível copiar, traduzir ou simplesmente aplicar um método estrangeiro no contexto brasileiro ou de qualquer outro país, e que mesmo a mais flexível das ferramentas existentes apresenta dificuldades práticas para emprego no Brasil; (2) é fundamental desenvolver um método à luz das prioridades, condições e limitações brasileiras, e, para tanto, deve-se necessariamente passar por um processo de conscientização e amadurecimento, semelhante aquele por que passaram os países que||desenvolveram métodos de avaliação ambiental de edifícios, porém com o desafio de ampliar o escopo para realizar avaliações da sustentabilidade da produção e uso de edifícios. Demonstrada a veracidade da hipótese, passou-se à proposição de diretrizes; à reunião de uma base metodológica; e ao inicio do desenvolvimento de um método para avaliação da sustentabilidade de edifícios de escritórios brasileiros ao longo de seu ciclo de vida. ) No modelo de avaliação sugerido, os limites do sistema foram definidos para abranger a etapa de construção e uso do edifício, assim como a avaliação dos agentes envolvidos no processo, iniciando pela empresa construtora, visando criar a cultura e o movimento consistente das práticas de mercado em direção a um patamar mais sustentável. A estrutura de avaliação proposta foi construída a partir de uma agenda para a construção sustentável no Brasil; em instrumentos disponíveis para a avaliação integrada de itens ambientais, sociais e econômicos; e na análise dos métodos e normas internacionais relacionados ao tema. Esta estrutura de avaliação e uma lista abrangente de indicadores a ela relacionados foram submetidas à consulta das partes interessadas da construção civil do Estado de São Paulo. A estrutura de avaliação não foi questionada, e o emprego de processo de análise hierárquica (AHP) mostrou-se como uma alternativa satisfatória para a derivação de um critério de ponderação. Constatou-se, porém, que o mercado não está||preparado para, no curto prazo, medir ou ser avaliado através de um método sofisticado. Um método simplificado e uma estratégia gradual de implementação são então propostos, apontando a direção para os desenvolvimentos futuros necessários


Anterior Próximo
    1. . .  65    66    67    68    69    70    71    72    73    74  . . . 157