Teses, Dissertações e Monografias

Acesse a listagem abaixo para conhecer algumas das teses, dissertações e monografias desenvolvidas pelos alunos de pós-graduação do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica.

A consulta também pode ser feita na biblioteca de Engenharia Civil pelos telefones (11) 3091-5204 e 3091-9023, fax (11) 3091-5125 ou pelo e-mail biblioteca.civil@poli.usp.br.

Para saber o horário e o local das próximas qualificações e defesas, acesse o site Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil – PPGEC. e do ConstruINOVA - Mestrado Profissional em Inovação na Construção Civil.

Para conhecer as diretrizes de elaboração de teses e dissertações clique no link ou acesse o site da Biblioteca Digital.

Importante: a consulta aos arquivos das teses e dissertações fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:

Este trabalho é para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar o nome da pessoa autora do trabalho.

Buscar teses, dissertações e monografias
  • Influência das características do aço carbono destinado ao uso como armadura para concreto armado no comportamento frente à corrosão PDF
    • Aluno: Oswaldo Cascudo Matos
    • Orientador: Paulo Roberto do Lago Helene
    • Categoria: Doutorado
    • Ano: 2000

    O presente trabalho investiga a influência de características das armaduras de aço carbono para concreto armado normalizadas no Brasil, no tocante ao seu comportamento quanto à corrosão. Assim, barras de aço CA-25 e CA-50 e o fio de aço CA-60, todos com diâmetro nominal de 8 mm e oriundos do maior produtor nacional de aços, foram submetidos a uma avaliação experimental em corpos-de-prova de concreto visando conhecer as diferentes susceptibilidades à corrosão que tais armaduras apresentam quando embutidas no concreto. Estes três tipos de aço, sob quatro situações (a barra CA-50 foi estudada com e sem carepa de laminação), foram embutidos em sete diferentes concretos, com relações água/cimento iguais a 0,35; 0,45; 0,55;0,65 e 0,8, de maneira que cinco destes traços tiveram consistência fixa dada pelo abatimento do tronco de cone igual a (60'+ OU -'10 ) mm e dois deles, com relação água/cimento 0,55, tiveram alteradas suas consistências para abatimentos iguaisa (30'+ OU -'10) mm e (180'+ OU -'10) mm. Os aços foram ainda avaliados considerando duas condições superficiais: contendo a superfície íntegra (decapada mecanicamente com escova de aço) ou apresentando pré-corrosão. Durante 14 meses, os corpos-de-prova de concreto foram submetidos ao ataque por cloretos ou expostos à ação do C'O IND. 2' (carbonatação), sendo a corrosão ao longo deste período monitorada por meio das técnicas eletroquímicas de potenciais de corrosão, resistência de polarização e impedância||eletroquímica. Ao final do experimento, com a abertura dos corpos-de-prova, as barras foram avaliadas visualmente e por meio de lupa estereoscópica, sendo que algumas delas foram também avaliadas por microscopia eletrônica de varredura. Em algumas barras pré-selecionadas, foram retiradas amostras de produtos de corrosão para identificação por meio das técnicas de espectrometria de fluorescência de Raios X e difração de Raios X. Todas as barras de aço ) tiveram suas perdas de massa determinadas, assim como suas taxas de corrosão gravimétricas. Os resultados mostraram que existem diferenças significativas de comportamento quanto à corrosão entre as quatro barras de aço carbono estudadas, de maneira que a CA-50 sem carepa foi a que mais corrosão apresentou, vindo na seqüência a CA-50 com carepa (CA-50c), depois a CA-60 e, com o melhor desempenho, a CA-25. As diferenças entre as médias gerais dos valores de taxa de corrosão foram: 45% entre as barras CA-50 e CA-50c, 24% entre as barras CA-50c e CA-60, e 26% entre as barras CA-60 e CA-25

  • Estudo da fluência do concreto de elevado desempenho PDF
    • Aluno: Cassiana Aparecida Augusto Kalintzis
    • Orientador: Selmo Chapira Kuperman
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2000

    O projeto de estruturas deve estar baseado no conhecimento das propriedades do concreto, sendo que o valor da fluência é um parâmetro importante em diversos casos. Embora seja possível encontrar na literatura internacional trabalhos sobre fluência do concreto de elevado desempenho, no Brasil são poucos os dados disponíveis sobre esse assunto. Esta investigação experimental tem como objetivo estudar a fluência do concreto de elevado desempenho com adição de sílica ativa, a fim de se obter valores de deformação ao longo do tempo em concretos com resistência à compressão, aos 28 dias, de 22,5 a 74,7 MPa. São analisadas as influências da relação água/aglomerante e do grau de hidratação sobre a fluência, tendo sido realizados também ensaios de resistência à compressão, módulo de deformação, retração por secagem e deformação autógena. Os valores de retração por secagem e o coeficiente de fluência obtidos nos ensaios são comparados com os valores calculados segundo a norma brasileira NBR 7197/89 e as normas internacionais ACI 209 R-92 e o CEB-FIP Model Code 1990. A análise e interpretação dos resultados mostrou que o concreto de elevado desempenho apresenta menor fluência do que os concretos de menor resistência à compressão, e que as diferenças entre as deformações do concreto de elevado desempenho e os demais concretos variaram de 20 a 40%. Os ensaios de deformação autógena mostraram deformação significativamente maior para o concreto de elevado desempenho.||Com relação à retração por secagem ficou evidenciado que o teor de água por volume de concreto é determinante neste tipo de deformação pois, todos os traços possuíam mesmo teor de água e apresentaram valores de deformações muito próximos, apesar de diferentes resistências à compressão

  • Influência do volume de pasta na zona de transição pasta/agregado com relação às propriedades mecânicas e de durabilidade do concreto PDF
    • Aluno: Eliane Pereira de Lima
    • Orientador: Paulo Roberto do Lago Helene
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2000

    Sabe-se que a entrada no concreto de agentes agressivos presentes no meio, dá-se por diversos mecanismos que dependem das características do concreto, entre elas, principalmente, da distribuição dos poros, do volume de poros e da suainterconexão. Alguns pesquisadores acreditam que a zona de transição pasta/agregado tem participação fundamental nas propriedades do concreto. Por meio de estudos teóricos e modelos computacionais chegaram à conclusão que a região de interfacepasta/agregado, pode interconectar-se sempre que os volumes de pasta sejam pequenos, abaixo de 50%. Assim, acreditam que quanto maior o volume de agregados e menor o volume de pasta, maior o transporte de agentes agressivos ao interior doconcreto e, consequentemente, menor a sua durabilidade. O presente trabalho estudou concretos com volumes de pasta variado de 30%, 35%, 55% a 60% e relações água/cimento de 0,5 e 0,7, em relação às suas propriedades mecânicas e de durabilidade.Estas propriedades compreenderam a resistência à compressão axial, a penetração de água sob pressão, a capilaridade, a penetração de cloretos, a porosidade pelo método de intrusão de mercúrio e a análise de imagens obtidas por meio demicroscópio eletrônico de varredura. Os resultados obtidos são indicativos que o efeito do volume de pasta nas características da zona de transição pasta/agregado e nas propriedades do concreto, é bem menor que o esperado e que o agregado atétem efeito benéfico nas propriedades do concreto, enquanto||que a pasta aumenta a probabilidade de microfissuras no interior do concreto e pode reduzir o seu desempenho final

  • Vida útil de estruturas de concreto armado em ambientes marítimos PDF
    • Aluno: André Tavares da Cunha Guimarães
    • Orientador: Paulo Roberto do Lago Helene
    • Categoria: Doutorado
    • Ano: 2000

    O objetivo desta pesquisa é avaliar a durabilidade de uma estrutura marítima de concreto armado com 22 anos de idade contendo o histórico de sua execução, comparando seu desempenho com modelos de vida útil e normas existentes. Ao final formulou-se um novo modelo de durabilidade para estruturas de concreto armado em ambiente marítimo. Para alcançar tal objetivo a durabilidade do concreto armado é avaliada por profundidade de carbonatação do concreto, profundidade de ataque de sulfatos e profundidade de ataque de cloretos através de ensaios realizados "in loco" em uma estrutura marítima em diversos micro ambientes: zona de maré, zona de respingo e zona de névoa salina. O modelo de durabilidade desenvolvido nesta pesquisa permite estimar a vida útil de uma estrutura em ambiente marítimo desde de que construído com materiais e técnicas similares. Portanto permite projetar construções em ambientes e micro ambientes similares, estimando a vida útil e fornecendo os elementos para o planejamento de quando uma intervenção maior será necessária. É desenvolvida metodologia para avaliar a influência do grau de saturação (GS) da pasta de cimento endurecida sobre o coeficiente de difusão de cloretos. Conclui-se que esse fator apresenta uma grande influência sobre a intensidade de ataque de íons cloreto. Também foi desenvolvida metodologia para medir o GS médio da camada mais externa de uma estrutura de concreto armado em ambiente marítimo, confirmando a importância desse||fator. Propõe-se estender essa pesquisa a outros ambientes marítimos da costa brasileira com o objetivo de identificar os principais fatores que influenciam no ataque ao concreto armado em ambiente marítimo, e obter dessa forma, maior confiabilidade nos modelos existentes ou formular novos modelos

  • Método para a previsão e controle da produtividade da mão-de-obra na execução de fôrmas, armação, concretagem e alvenaria PDF
    • Aluno: Luís Otávio Cocito de Araújo
    • Orientador: Ubiraci Espinelli Lemes de Souza
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2000

    Este trabalho desenvolve uma método para se estudar a produtividade da mão-de-obra, envolvida nos serviços de fôrmas, armação, concretagem e alvenaria, visando sua previsão, avaliação e análise. Tal método deverá ser um instrumento ao mesmo tempode fácil aplicação e com rapidez e consistência quanto às informações que fornece, servindo de apoio para as decisões gerenciais dos responsáveis pela execução de obras de edifícios. Após o conhecimento teórico de diferentes técnicas disponíveispara se estudar a produtividade, faz-se uma opção por aquela que mais se adequa aos propósitos da pesquisa. Um método preliminar, baseado nos fundamentos preconizados pelo Modelo dos Fatores, é elaborado, passando-se então à aplicação do mesmoem canteiros de obra. Após um processo de interação contínua com empresas de construção de edifícios, capaz de apontar possíveis falhas e oportunidades de melhoria, define-se o método final, aplicado num segundo estudo de campo. Este permitequantificar a influência dos diversos fatores que fazem a produtividade variar e, por conseguinte, facilita o gerenciamento dos recursos humanos


Anterior Próximo
    1. . .  89    90    91    92    93    94    95    96    97    98  . . . 157