Teses, Dissertações e Monografias

Acesse a listagem abaixo para conhecer algumas das teses, dissertações e monografias desenvolvidas pelos alunos de pós-graduação do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica.

A consulta também pode ser feita na biblioteca de Engenharia Civil pelos telefones (11) 3091-5204 e 3091-9023, fax (11) 3091-5125 ou pelo e-mail biblioteca.civil@poli.usp.br.

Para saber o horário e o local das próximas qualificações e defesas, acesse o site Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil – PPGEC. e do ConstruINOVA - Mestrado Profissional em Inovação na Construção Civil.

Para conhecer as diretrizes de elaboração de teses e dissertações clique no link ou acesse o site da Biblioteca Digital.

Importante: a consulta aos arquivos das teses e dissertações fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:

Este trabalho é para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar o nome da pessoa autora do trabalho.

Buscar teses, dissertações e monografias
  • Contribuição ao estudo da influência do agregado nas propriedades de argamassas compostas a partir de curvas granulométricas PDF
    • Aluno: Arnaldo Manoel Pereira Carneiro
    • Orientador: Maria Alba Cincotto
    • Categoria: Doutorado
    • Ano: 1999

    A partir de 20 curvas de distribuição granulométrica contínua, obtida através da equação de uma Progressão Geométrica, foram dosadas argamassas mistas de cimento, cal e areia com o objetivo de estudar a influência da distribuição granulométrica do agregado nas suas características, nos estados fresco e endurecido; considerado todas as frações de material abaixo da peneira #200 (0,075 mm) são constituídas pelos os aglomerantes (Cimento CP I - S e cal dolomítica CH I) e, acima, o agregado (areia quartzosa com diâmetro máximo característico de 2,4 mm). As variáveis que originaram as 20 curvas foram: a) a série de peneiras normal e a principal, especificada pela NBR 5734/1988, que definiu o número de constituintes; b) a fração de finos imposta como fração abaixo da peneira #100 (0,15 mm) e c) a % de material retido entre peneiras que determinou a continuidade da distribuição granulométrica. A composição das argamassas constituiu-se na mistura da areia composta com os aglomerantes e adição de água de amassamento para obter a consistência padrão de 265'+OU-'15 mm. Com as areias compostas foram realizados três tipos de ensaios de massa unitária e determinação do índice de vazios. Da curva de distribuição granulométrica da argamassa foi determinado o coeficiente de uniformidade. Nas argamassas no estado fresco foram determinados a massa específica aparente, o consumo de água, o volume de pasta e o índice de retenção de consistência. No estado endurecido foram realizados ensaios para||a determinação da massa específica e do índice de vazios, das resistências mecânicas (tração na flexão e à compressão), do módulo de deformação dinâmico, do coeficiente de capilaridade e da taxa de variação de massa. Da análise dos dados concluiu-se que à medida que se aumenta o número de constituintes, a fração de finos e a continuidade das curvas granulométricas, as argamassas apresentam: menor consumo de água para uma mesma ) trabalhabilidade, devido ao efeito parede que favorece o rolamento dos grãos entre si, menor consumo de aglomerantes, maior índice de retenção de consistência; maior massa específica e maior índice de vazios; maiores resistências mecânicas e módulo de deformação, apesar do aumento do índice de vazios, em função do aumento da rigidez da mistura e do melhor empacotamento; maiores coeficientes de capilaridade e menor taxa de variação de massa durante o endurecimento. Do estudo conclui-se que existe correlação entre as características da areia, massa unitária, o coeficiente de uniformidade e o perfil da distribuição granulométrica com as propriedades das argamassas

  • Aspectos de desempenho da argamassa dosada em central PDF
    • Aluno: Antonio Augusto Arrobas Martins Neto
    • Orientador: Joao Gaspar Djanikian
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 1999

    A argamassa dosada em central (ADC) é um material promissor e alternativo para obras de grande porte, pela viabilidade do fornecimento em grande escala. Através de pesquisa realizada junto a 37 construtoras, desenvolveu-se as ADC's com o intuito de atender às necessidades de desempenho das obras. Sendo estas argamassas à base de cimento, houve a necessidade de promover o retardamento do início da pega, por meio de aditivos retardadores e incorporadores de ar, a fim de que suas características iniciais de dosagem fossem garantidas por um período de 12 horas. Foram pesquisadas argamassas nas dosagens 1:6, 1:7, 1:8 e 1:9 e verificados seus desempenhos nos estados fresco e endurecido através dos ensaios de consistência, ar incorporado, densidade de massa, retração volumétrica, resistência à compressão, resistência de aderência e módulo de elasticidade

  • A inserção do campus da Cidade Universitária "Armando de Salles Oliveira", na malha urbana da cidade de São Paulo PDF
    • Aluno: Vera Adelina Amarante Machado Marques
    • Orientador: Witold Zmitrowicz
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 1999

    Tendo como ponto de partida as intenções e ideais fundamentais da Universidade de São Paulo, a dissertação tem o propósito de contribuir, para a compreensão, esclarecimento e discussão da dinâmica espacial da relação entre a Cidade de São Paulo e a Cidade Universitária "A.S.O". São descritos e analisados os principais fatos e aspectos que determinaram a implantação do campus da CUASO no tecido urbano da cidade de São Paulo, o papel desempenhado pelo campus no processo de produção do espaço urbano e as transformações que se estabeleceram no uso e ocupação do solo urbano da região, verificando suas contradições e a busca de novas soluções. A relação entre a Cidade e a CUASO é objeto de um levantamento de dados e informações sob diferentes aspectos: uso e ocupação do solo institucional, transporte, habitação, infra-estrutura, serviços e segurança. Cada um dos aspectos, por sua vez, é estudado tanto pela ótica de crescimento interno (expansão e extensão, no sentido de missão da USP) da CUASO como pela perspectiva de inserção do campus na cidade. Numa posição prospectiva, procura-se desenhar dois cenários futuros, destacando a factibilidade institucional, técnica e urbanística que se estabelece na relação entre a CUASO e Cidade de São Paulo

  • Características reológicas de pastas de cales hidratadas normalizadas e de cimento PDF
    • Aluno: Fabiola Rago
    • Orientador: Maria Alba Cincotto
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 1999

    Este trabalho apresenta conceitos teóricos sobre as propriedades de argamassas e pastas de cimento e cal hidratada no estado fresco. Os conceitos sobre reologia de pastas e suspensões, foram aplicados em métodos de ensaios para a determinação de características reológicas de pastas de cimento e cal. São comparados quatro tipos de cales hidratadas, variando-se a composição química e as características físicas. As cales hidratadas estudadas foram: a cal cálcica CH I e CH III, calmagnesiana CH I e CH III. Os materiais empregados no estudo foram caracterizados quanto à composição química por análise química e difração de raios X. A composição granulométrica foi determinada no granulômetro a laser e as propriedades físicas foram avaliadas conforme os métodos nacionais normalizados para cada material. A partir dos ensaios de escoamento, espalhamento e das determinações no viscosímetro rotativo, observou-se a tendência das pastas com cal cálcica apresentarem maior viscosidade do que as pastas com cal magnesiana. Ao se substituir parte da cal hidratada por material carbonático, a viscosidade das pastas de ambas as cales - cálcica e magnesiana - decresce. Foi observado que a maturação da cal hidratada só apresenta influência na reologia das pastas de cal cálcica, não apresentando nenhum efeito nas pastas de cal magnesiana. O estudo mostra que características da cal hidratada como a finura e a distribuição granulométrica, a composição química, a forma e as cargas||superficiais das partículas, podem modificar propriedades nas pastas e argamassas à base de cal hidratada, como a viscosidade e o rendimento

  • Contribuição ao estudo da influência da dosagem do concreto na absorção capilar e penetração de íons cloreto PDF
    • Aluno: Carlos Eduardo Xavier Regattieri
    • Orientador: Paulo Roberto do Lago Helene
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 1999

    A grande diversidade de cimentos disponíveis no mercado brasileiro abre um vasto campo de pesquisa na área de durabilidade do concreto, uma vez que quanto maior for o conhecimento da influência do tipo de cimento nas propriedades que definem a durabilidade do concreto, maior será a vida útil das estruturas. Esta dissertação aborda a influência no concreto do tipo de cimento, da relação água/cimento e da idade quanto à absorção de água por capilaridade, em analogia ao método de ensaioda norma NBR 9779/95, e à penetração de cloretos segundo a norma ASTM C 1202/94. Foi desenvolvido um programa experimental que compreendeu a avaliação do desempenho de concretos preparados com sete tipos de cimento portland, com diferentes tipos e teores de adições minerais (filler calcário, escória e cinza volante). Para cada cimento foram preparados três traços de concreto, com relações água/cimento iguais a 0,35, 0,50 e 0,70. Foram executados ensaios para determinação da absorção de água por capilaridade, penetração de cloretos e resistência à compressão axial em corpos-de-prova cilíndricos de 100m de diâmetro nas idades de 28 a 63 dias. Os resultados obtidos, submetidos a um tratamento estatístico, comprovaram a grande diferença de desempenho dos concretos, em função, principalmente, do tipo de cimento, em concordância com dados encontrados na bibliografia. Finalmente, ficou evidenciada a influência positiva do emprego de cimento com adições ativas nas propriedades avaliadas. O||critério de classificação apresentado pela ASTM C 1202/94 não se mostrou eficiente para diferenciar os concretos analisados, pois este não permite distinguir concretos em função da relação água/cimento. Os resultados obtidos confirmam assim que a resistência mecânica não deve ser o único parâmetro a ser analisado quando da escolha ou especificação do tipo de cimento a ser empregado, quando se deseja uma maior durabilidade das estruturas de concreto armado


Anterior Próximo